Atividades Formativas

Tempos áridos?:
reconhecendo
terreno,
preparando
Solos

Esta Conferência contará com 3 convidados que são referência pelo trabalho/pesquisa/produção que realizam em seus campos de atuação. A proposta é aliar cada tema sugerido com o conceito do Solos: Diversidade de manifestações culturais, Diálogo com nosso Tempo e Percepção de Futuros.

MesaS

Mesa 1:

“Artesania solística: processos criativos”,

Fabio Vidal – 25’

Mesa 2:

“Lógicas produtivas: do espetáculo à difusão”,

Deolinda Vilhena – 25’

Mesa 3:

“Interior do Mundo: festivais e parcerias”,

Paulo Atto – 25’

Mediação:
Antonio Fábio e Saulus Castro

Realização:
25 de Março de 2021, das 16h às 18h (horário de Brasília).

Plataforma:
Canal do YouTube do Festival Solos de Teatro da Bahia

Sobre os
ConferencistaS

DEOLINDA VILHENA

Saiba mais sobre

DEOLINDA VILHENA
-

Deolinda Vilhena – Jornalista, produtora, pesquisadora e professora universitária. Mestre em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da USP (2001), Mestre (2002) e Doutora (2007) em Estudos Teatrais pela Université de la Sorbonne Nouvelle – Paris 3 com tese sobre o modelo de produção do Théâtre du Soleil. Realizou seus estudos pós-doutorais na Universidade de São Paulo (2008-2010) e na Université Paris Ouest Nanterre La Défense (2017). Especialista em Financiamento da Cultura pela Université Paris-Dauphine (2010). É professora permanente do PPGAC – Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia e professora do Departamento de Técnicas da Escola de Teatro da UFBA (desde 2011), onde exerceu os cargos de: Coordenadora do PPGAC-UFBA, Vice-Diretora e Chefe do Departamento de Técnicas do Espetáculo. Pesquisadora na área de produção, administração e gestão teatral, festivais, formação e qualificação dos profissionais na área da cultura e educação artística.

FABIO VIDAL

Saiba mais sobre

FABIO VIDAL
-

Ator-performer, autor, diretor, professor e produtor. Mestre e Bacharel pela UFBA. Integrante do Território Sirius Teatro. Recentemente desenvolve seu 6o espetáculo solo autoral Monólogo das Sombras. Produziu o projetos Solos em todos os Solos e Soloteropolitados. Atuou, Co-diirigiu e Co-criou o espetáculo Velôsidades (2019). Realizou a orientação de encenação do espetáculo Hamlet Cancelado, de Vinicius Piedade. Criou, dirige e atua nas encenações Sebastião, Seu Bomfim, Velôsidade Máxima, ERê - Eterno Rêtorno e Joelma. Assinou a dramaturgia do espetáculo Álbum de Família do BTCA. Dirigiu os espetáculos Temporal,Casa Número Nada e Gbagbe. Como ator participou de diversas montagens dentre às quais Salmo 91, Murmúrios, Divinas Palavras, Os Acrobatas, Casa de Eros e Otelo. Participou dos filmes Abaixo a gravidade e O Homem que não dormia, dir. Edgard Navarro e Joelma dir. de Edson Bastos e recentemente o curta-metragem Fundo do céu, direção de Matheus Vianna. Foi preparador de elenco do curta Astrogildo e A Astronave, de Edson Bastos. Dirigiu em 2020 o documentário Ecoando Helisleide Bomfim e atualmente prepara-se para filmar uma continuidade desse projeto chamado Visitas de Helisleide Bomfim.

PAULO ATTO

Saiba mais sobre

PAULO ATTO
-

Produtor cultural, diretor teatral e dramaturgo desde 1984. Também atuou como curador de festivais e mostras, gestor público de cultura, editor de livros e revistas de artes cênicas e consultor em projetos de arte, cultura e desenvolvimento social para instituições públicas e privadas. Autor dos livros Desmontando Shakespeare, Atto em 3 atos & memórias da Censura e A Travessia do Grão Profundo (Prêmio Selo João Ubaldo Ribeiro). Participou em programas, festivais, seminários sobre artes cênicas e cultura na Alemanha, EUA, México, Rússia, Espanha, Venezuela, Colômbia, Equador, Suíça, Canadá, Cuba, Dinamarca e Portugal Como diretor teatral dirigiu mais de 30 espetáculos. Mantém na cidade de Irecê o Núcleo Caatinga da Cia Avatar desde 2010 e o Festival de Teatro da Caatinga (desde 2012). É membro associado da SGAE – Sociedad General de Autores y Escritores de España desde 2005. Foi selecionado para a 8ª sessão da "Escola Internacional de Antropologia Teatral - ISTA” dirigida por Eugênio Barba. Foi convidado pela UNESCO para o Fórum Permanente de Desarrollo Sociocultural del América Latina y del Caribe, é membro fundador da RIA – Rede Ibero-americana de Animação sociocultural, com sede em Salamanca / Espanha e da REI – Red Escena Iberoamericana com grupos, festivais e companhias da Argentina, Colômbia, México, Brasil, Portugal e Espanha.

Alguma
dúvida?
Fale com
a gente!

Não se preocupe seus
dados estão seguros.

Quem
SomoS

O Festival Solos de Teatro da Bahia nasce da parceira entre 2 grupos de Salvador/BA: Coletivo Duo e Ovo Teatro e Audiovisual.

O Coletivo Duo tem 10 anos de fundação e conta com 7 espetáculos em seu repertório, entre adultos e infanto-juvenis, além de Performances, Intervenções Urbanas, Demonstrações de Trabalho e Oficinas.

O Ovo Teatro e Audiovisual tem 18 anos de fundação, foi criado em Brasília e se estabeleceu em Salvador. Entre suas criações estão os espetáculos Escola de Bufões, O califa da rua do sabão, e Os enamorados. Seu trabalho mais recente é o curta-metragem (Phersu(s)).

CoordenaçãO

Antonio Fábio

Antonio Fábio

Bacharel em Interpretação e Direção Teatral. Também, Especialista em Linguagens Artísticas e Educação. Após anos de atividade profissional em Brasília, DF, onde criou o grupo Ovo Teatro e Afins, mudou-se para Salvador em 2017 onde desenvolve seu ofício sendo ator, diretor teatral, produtor e professor de interpretação. Na capital baiana participa da cena artística e cultural. É diretor artístico/coordenador do Ovo Teatro e Audiovisual.

Israel Barretto

Israel Barretto

Formado em Educação Física pela Universidade Católica do Salvador, iniciou seus trabalhos artísticos com o grupo de teatro da diretora Clécia Queiroz. Participou de diversos cursos, oficinas e montagens de espetáculos com nomes como Márcio Meireles, Hebe Alves, Luiz Antônio Sena Jr, Felipe Assis, dentre outros. Por seu espetáculo solo O avô e o rio recebeu a indicação de Melhor Ator no Prêmio Braskem de Teatro 2019.

Marcos Lopes

Marcos Lopes

Marcos Lopes é ator, palhaço, circense, produtor e artista de rua. Em sua pesquisa estão as linguagens da música, do circo, das danças populares, da literatura de cordel e do teatro. Estuda Interpretação Teatral na Universidade Federal da Bahia e é integrante o grupo de teatro Coletivo Duo. Seu trabalho solo infanto-juvenil O barão nas árvores foi indicado ao Prêmio Braskem de Teatro 2018 nas categorias Melhor Ator e Melhor Espetáculo Infanto-juvenil.

Saulus Castro

Saulus Castro

Ator, Encenador, Produtor e engenheiro de divagações, concebeu e dirigiu espetáculos pelo Coletivo Duo e com outros artistas e grupos. Compartilha aprendizados em oficinas e aulas de Teatro. Compõe o Colectivo Latinoamericano Âmbar e tem incursões em Cinema.

São 10 SoloS
baianos no Festival

Clique e baixe
o e-book do
regulamento

SoloS na rede

Realização:

Apoio Financeiro:

SoloS – Festival de Teatro da Bahia • Ano 1 • Edição Online • 2021