Atividades Formativas

SELECIONADOS OFICINAS

Oficina
“Se tem que filmar, como iluminar?”
com Larissa Lacerda
-

ADRIELLE SIMÕES MACÊDO
AMANDA SANTANA DE OLIVEIRA
DANIEL LIMA DE SOUSA
EDERVAL MARQUES MIRANDA
EDUARDO VIANA
FERNANDO BITENCOURT
INÃ
IURI NASCIMENTO SOUZA
JEFERSON CONCEIÇÃO SANTOS
MARINALDO ROGÉRIO SILVA SANTA RITA
NANY OLIVEIRA
OTAVIO DE SOUSA COSTA
PROFESSOR EDUARDO MARTINS
RENATA NISHITANI
SAMUEL MARINHO
THELMA GUALBERTO
TÚLIO MIGUEL MELO
VANESSA ARAGÃO
WALLAS MOREIRA
YASMIM GONZAGA

Oficina
“Aspectos criativos entre Teatro e Audiovisual”
com Marcus Lobo
-

ADRIELLE SIMÕES MACÊDO
AMANDA SANTANA DE OLIVEIRA
DOROTÉIA
EZEQUIAS ANDRADE
FERNANDO BITENCOURT
GABRIELLE SANTANA
JEFERSON CONCEIÇÃO SANTOS
KADU FRAGOSO
LUCIENE LIMA
NEGRO DU
PAULA RENATA SANTOS DE PAIVA
RENATA NISHITANI
SAMUEL MARINHO
SIMONE RASSLAN
TALLES ATYHE CARDOSO DE LIMA
TÚLIO MIGUEL MELO
YASMIM GONZAGA

Oficina
“Dramaturgia à Escuta - poesia falada e cena escrita”
com Denisson Palumbo
-

ADRIELLE SIMÕES MACÊDO
DENISE MADALENA FIRMO MARINHO
EZEQUIAS ANDRADE
KARINA GUERREIRO DE SÁ
LESLIE
LUA NOVAES
MORGANNA LÔBO
NEGRO DU
REGIANE VIANA DOS SANTOS
SIMONE RASSLAN
TATI COSTA
TÚLIO MIGUEL MELO
VANDO FARIAS
YASMIM GONZAGA

Oficina
“Áudio e Vídeo para Lives: Como melhorar?”
com Moisés Victório
-

AMANDA SANTANA DE OLIVEIRA
EDERVAL MARQUES MIRANDA
FERNANDO BITENCOURT
JEFERSON CONCEIÇÃO SANTOS
KADU FRAGOSO
MARINA SENA
MAYALE PITANGA
MILENA NASCIMENTO NOGUEIRA
PAULO DE SOUZA
PROFESSOR EDU MARTINS
SAMUEL MARINHO
THIAGO LEAL
TÚLIO MIGUEL MELO

SE TEM QUE FILMAR,
COMO ILUMINAR?
luz, cena e captação audiovisual.

com LARISSA LACERDA


Currículo resumido da Oficineira:
Integrante da Dimenti Produções, possui um olhar múltiplo para as artes e técnicas da cena: atua como iluminadora, diretora, atriz, cantora. Mestra em Artes Cênicas (PPGAC/UFBA), bacharel em Artes Cênicas – Direção Teatral (UFBA), licenciada em Letras Vernáculas (UFBA), atriz formada pelo Curso Livre de Teatro da UFBA. A atuação de Larissa se intensifica como técnica/iluminadora a partir de 2011, resultando na indicação de melhor iluminadora, em 2014, pelo prêmio Caymmi de Música.

SINOPSE
QUERO ME INSCREVER

SE TEM QUE FILMAR,
COMO ILUMINAR?
luz, cena e captação audiovisual.

com LARISSA LACERDA

Sinopse:
A ideia desta oficina é introduzir noções básicas de iluminação que contribuam para a construção de um pensamento entre a luz e a sequência de frames, tendo em vista a luz como linguagem e não somente como desenho técnico. Esta oficina parte da problematização/necessidade do teatro filmado sob a perspectiva das atuais discussões sobre ressignificações da presença no contexto pandêmico.

Datas: 22 e 23/03
Horário: de 9h às 11h
Carga Horária: 4 horas (2h/dia)
Quantidade máxima de participantes: 20
Faixa etária: a partir de 18 anos

VOLTAR
CLIQUE E INSCREVA-SE

Aspectos criativos entre
Teatro e Audiovisual

com MARCUS LOBO


Currículo resumido do Oficineiro:
Formado em Artes Cênicas no Curso de Direção Teatral pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Pesquisador em arte e mídias com foco nos elementos técnicos e na Dramaturgia visual da cena – interagindo entre as interfaces do teatro e audiovisual.
Mestrando em Cultura e Sociedade no programa PósCult-UFBA Integra o COATO Coletivo – CORRE Coletivo cênico – a ATeliê voadOR Companhia de Teatro.

SINOPSE
QUERO ME INSCREVER

Aspectos criativos entre
Teatro e Audiovisual

com MARCUS LOBO

Sinopse:
A oficina se divide em dois momentos:
Primeiro encontro para debates teóricos sobre o híbrido Teatro / audiovisual, e as referencias contemporâneas que estabelecem esse dialogo em suas obras. Observando os aspectos técnicos, a criação de uma “Tramaturgia” pautada nas narrativas visuais para a cena, um breve dialogo sobre as novas possibilidades e aspectos criativos adquiridos após a chegada da internet e os avanços das tecnologias de comunicação. A interdisciplinaridade cada vez mais integrada nas obras artísticas de modo geral.
Segundo encontro para experimentações virtuais, um convite a olhar para o ambiente virtual como um campo criativo em expansão, capaz de absorver e transmitir imagens multimídias, entender o aparato técnico e como agenciar o uso dos elementos da cena virtual.

Datas: 24 e 25/03
Horário: de 9h às 11h
Carga Horária: 4 horas (2h/dia)
Quantidade máxima de participantes: até 50 pessoas
Faixa etária: à partir de 16 anos

VOLTAR
CLIQUE E INSCREVA-SE

​Dramaturgia à Escuta – poesia
falada e cena escrita

com DENISSON PALUMBO


Currículo resumido do Oficineiro:
Denisson Palumbo nasceu em Salvador – Bahia, em 21 de Junho de 1988. Graduou-se em Letras Vernáculas (Licenciatura), na Universidade Federal da Bahia, em 2013. Publica livros de poesia, de forma alternativa, e participa ativamente de saraus e eventos literários. Além de poeta, tornou-se músico prático, interessado na expressão da palavra cantada; conta com uma letra musicada e gravada pela banda Diamba (BA): “Calma Bomba”, no disco “Setas Indicam a Direção” (2016). Também trabalha como dramaturgo, tendo dois textos encenados: “Pavio Curto” (2011), escrito com Clarissa Rebouças e encenado por Onisajé; em 2020, o infanto-juvenil “A Festa do Batismo das Coisas”, direção de Guilherme Hunder. Neste ano, outros textos estão em processo de encenação: “O Caminho dos Mascates”,Direção de Elisa Mendes; “Jonas: dentro do peixe grande”, 2021, direção de Rino Carvalho, ambos realizados pelo Coletivo Duo de Teatro, além de mais infanto-juvenil: “Zumbido”, direção Guilherme Hunder.

SINOPSE
QUERO ME INSCREVER

​Dramaturgia à Escuta – poesia
falada e cena escrita

com DENISSON PALUMBO

Sinopse:
“Oficina Dramaturgia à Escuta” é um espaço para textos literários: poemas, letras de música e monólogos teatrais (trechos), a fim de encontrar elementos dramatúrgicos entre os gêneros discursivos. Exercícios de criação literária voltados para a criação de diálogos, o limiar entre oralidade e a cena escrita (rubricas). Leitura compartilhada dos resultados das criações individuais; crítica/análise, sob critérios práticos trabalhados durante a oficina: musicalidade, figuração fantástica e comunicação (funções da linguagem), pertinentes ao processos criativos de “Jonas: dentro do peixe grande”( 2021) e “O Caminho dos Mascates” (2020), textos teatrais do repertório do Coletivo Duo, escritos por Denisson Palumbo, de forma colaborativa. Depois desta oficina, os participantes devem conseguir compreender possibilidades para produzir dramaturgia em grupo.

Datas: 26 e 27/03
Horário: de 9h às 11h
Carga Horária:​ ​4 horas (2h/dia)
Quantidade máxima de participantes: ​20 participantes
Faixa etária: ​Livre

VOLTAR
CLIQUE E INSCREVA-SE

Áudio e Vídeo para
Lives – Como melhorar?

com MOISÉS VICTÓRIO


Currículo resumido do Oficineiro:
Artista da luz, do audiovisual e da música. Com mais de quinze anos de atuação na área artística, vem desenvolvendo nos últimos anos projetos ligados à produção e difusão da música contemporânea e experimental, concepção de iluminação para espetáculos, shows musicais e participações em produções audiovisuais. Cursou o bacharelado interdisciplinar em artes com ênfase em tecnologias contemporâneas, pela Universidade Federal da Bahia, onde iniciou sua trajetória como pesquisador da área. Atualmente é Coordenador Técnico da Gerência de Equipamentos Culturais da Fundação Gregório de Mattos, chefe de palco do Teatro Gregório de Mattos, membro do Fórum dos Trabalhadores em Iluminação Cênica da Bahia – FICBa e sócio-fundador da BOGUM Ambiente Criativo.

SINOPSE
QUERO ME INSCREVER

Áudio e Vídeo para
Lives – Como melhorar?

com MOISÉS VICTÓRIO

Sinopse:
A oficina propõe diálogos sobre os aspectos técnicos e criativos acerca das produções audiovisuais para gravação e transmissão ao vivo, desde o ambiente profissional até os trabalhos feitos em casa.
A partir de trocas com os participantes, serão abordados princípios técnicos teórico-práticos, como enquadramento, uso de luzes, captação de sons, uso de celulares, edição de som e imagem, com o intuito de partilhar caminhos e soluções para criação de melhores produtos audiovisuais.

Datas: 28 e 29/03
Horário: 9 às 11h
Carga Horária: 4 horas (2h/dia)
Quantidade máxima de participantes: 30
Faixa etária: 18+

VOLTAR
CLIQUE E INSCREVA-SE

Projeto
PremiadO!

Em parceria, Coletivo Duo e Ovo Teatro e Audiovisual realizam o Festival Solos de Teatro da Bahia 2021 – Edição Online. O projeto é vencedor na categoria Teatro do Prêmio das Artes Jorge Portugal e conta com o apoio financeiro da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Estamos
ChegandO!

A primeira edição do Festival Solos de Teatro da Bahia 2021 – Edição Online, ocorrerá entre os dias 22 e 29 de Março de 2021 nas plataformas virtuais. O festival será composto por 10 Espetáculos solos teatrais baianos, sendo 03 de Salvador e Região Metropolitana e 07 do Interior do Estado; 04 (quatro) Atividades Formativas e 01 (uma) Conferência. As inscrições serão realizadas entre 15 e 31 de Janeiro.

Alguma
dúvida?
Fale com
a gente!

Não se preocupe seus
dados estão seguros.

Quem
SomoS

O Festival Solos de Teatro da Bahia nasce da parceira entre 2 grupos de Salvador/BA: Coletivo Duo e Ovo Teatro e Audiovisual.

O Coletivo Duo tem 10 anos de fundação e conta com 7 espetáculos em seu repertório, entre adultos e infanto-juvenis, além de Performances, Intervenções Urbanas, Demonstrações de Trabalho e Oficinas.

O Ovo Teatro e Audiovisual tem 18 anos de fundação, foi criado em Brasília e se estabeleceu em Salvador. Entre suas criações estão os espetáculos Escola de Bufões, O califa da rua do sabão, e Os enamorados. Seu trabalho mais recente é o curta-metragem (Phersu(s)).

CoordenaçãO

Antonio Fábio

Antonio Fábio

Bacharel em Interpretação e Direção Teatral. Também, Especialista em Linguagens Artísticas e Educação. Após anos de atividade profissional em Brasília, DF, onde criou o grupo Ovo Teatro e Afins, mudou-se para Salvador em 2017 onde desenvolve seu ofício sendo ator, diretor teatral, produtor e professor de interpretação. Na capital baiana participa da cena artística e cultural. É diretor artístico/coordenador do Ovo Teatro e Audiovisual.

Israel Barretto

Israel Barretto

Formado em Educação Física pela Universidade Católica do Salvador, iniciou seus trabalhos artísticos com o grupo de teatro da diretora Clécia Queiroz. Participou de diversos cursos, oficinas e montagens de espetáculos com nomes como Márcio Meireles, Hebe Alves, Luiz Antônio Sena Jr, Felipe Assis, dentre outros. Por seu espetáculo solo O avô e o rio recebeu a indicação de Melhor Ator no Prêmio Braskem de Teatro 2019.

Marcos Lopes

Marcos Lopes

Marcos Lopes é ator, palhaço, circense, produtor e artista de rua. Em sua pesquisa estão as linguagens da música, do circo, das danças populares, da literatura de cordel e do teatro. Estuda Interpretação Teatral na Universidade Federal da Bahia e é integrante o grupo de teatro Coletivo Duo. Seu trabalho solo infanto-juvenil O barão nas árvores foi indicado ao Prêmio Braskem de Teatro 2018 nas categorias Melhor Ator e Melhor Espetáculo Infanto-juvenil.

Saulus Castro

Saulus Castro

Ator, Encenador, Produtor e engenheiro de divagações, concebeu e dirigiu espetáculos pelo Coletivo Duo e com outros artistas e grupos. Compartilha aprendizados em oficinas e aulas de Teatro. Compõe o Colectivo Latinoamericano Âmbar e tem incursões em Cinema.

São 10 SoloS
baianos no Festival

Clique e baixe
o e-book do
regulamento

SoloS na rede

Realização:

Apoio Financeiro:

SoloS – Festival de Teatro da Bahia • Ano 1 • Edição Online • 2021